Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

sapocris

sapocris

15
Abr21

Uma Vida no Nosso Planeta

sapocris

1540-1.jpg

 

SINOPSE

«Para a vida prosperar neste planeta, tem de existir uma imensa biodiversidade. Só quando milhares de milhões de organismos conseguem tirar o máximo partido de cada recurso e oportunidade que encontram, e só quando milhões de espécies vivem vidas que se interligam de modo a sustentarem-se umas às outras é que o planeta pode funcionar com eficiência. Quanto maior for a biodiversidade, mais segura será toda a vida na Terra, incluindo nós próprios. Contudo, o modo como nós, seres humanos, vivemos hoje na Terra está a colocar a biodiversidade em declínio. O mundo natural está a desaparecer aos poucos. As provas estão por toda a parte. Aconteceu durante a minha vida. Eu vi com os meus próprios olhos. E irá levar à nossa destruição. Contudo, ainda há tempo para desligar o reator. Existe uma boa alternativa. Este livro é a história de como chegámos aqui, do nosso grande erro e de como, se agirmos já, podemos corrigi-lo.»

 

BIOGRAFIA

Sir David Attenborough é um naturalista cuja carreira televisiva está agora na sua sétima década. Depois de estudar Ciências Naturais em Cambridge e de uma breve passagem pela edição, foi trabalhar para a BBC, onde chegou a diretor de programas. Desde o lançamento da sua famosa série televisiva Zoo Quest em 1954, pesquisou quase todos os aspetos da vida na Terra e transformou-os em múltiplos documentários de divulgação científica. O mais recente programa, Planeta Terra II, foi o documentário sobre a natureza com a maior audiência de todos os tempos.

 

https://youtu.be/0ec6rkMXV0M

 

 

15
Abr21

A Elegância do Ouriço

sapocris

A-Elegancia-do-Ourico.jpg

SINOPSE

É num edifício situado num bairro rico de Paris e habitado por uma burguesia rica e snobe, que decorre este emocionante romance contado a duas vozes. Alternadamente, as duas protagonistas vão dando a conhecer o seu bairro e as pessoas que as rodeiam. Renée é uma porteira de 54 anos, cultíssima autodidacta e apaixonada pela pintura naturalista holandesa, por filosofia, pelo cinema japonês e uma devoradora de livros. Paloma, a segunda protagonista, é uma adolescente de 12 anos, astuta, que percebe mais do mundo à sua volta do que aquilo que aparenta, e que deseja suicidar-se no dia do seu décimo terceiro aniversário. Entre a aparente humildade e ignorância de Renée e de Paloma, aparece um novo morador no prédio: o senhor Ozu, um japonês que inicia uma relação de amizade com ambas, formando-se um pequeno trio que terá para todos um papel redentor. Um livro terno, divertido e com personagens que irão cativar os leitores desde a primeira página.

Muriel Barbery

 

Muriel Barbery nasceu em 1969, em Casablanca, Marrocos. Formada em Filosofia. A Elegância do Ouriço é o seu segundo romance, premiado com o prémio Georges Brassens em 2006, ano da sua publicação, e o Prix des Libraires, em 2007. Hoje, passados dois anos já vendeu mais de 11 milhões de livros só em França, sem falar de Espanha, Itália e Alemanha, onde permaneceu largos meses nos lugares cimeiros das listas de vendas, e foi ainda publicado na Grã-Bretanha e nos Estados Unidos por importantes editoras e largamente elogiado pela crítica.

 

 

 

17
Mar21

1984

sapocris

ee53cb72-7645-486d-a8ee-fa0e8e5a03b1.jpg

SINOPSE

1984 oferece hoje uma descrição quase realista do vastíssimo sistema de fiscalização em que passaram a assentar as democracias capitalistas. A electrónica permite, pela primeira vez na história da humanidade, reunir nos mesmos instrumentos e nos mesmos gestos o trabalho e a fiscalização exercida sobre o trabalhador. O Big Brother já não é uma figura de estilo - converteu-se numa vulgaridade quotidiana.

GetResource.jfif

 

George Orwell, pseudónimo do escritor Eric Arthur Blair, nasceu na cidade de Motihari, na então Índia britânica, a 25 de junho de 1903, tendo-se mudado para Inglaterra com a família, ainda durante a infância. Escritor e jornalista, Orwell é uma das mais influentes figuras da literatura do século xx. Defensor incondicional da liberdade humana e acérrimo opositor do totalitarismo, inscreve-se no panorama literário com as obras Dias Birmaneses (1934) e Homenagem à Catalunha (1938). Mas será, sem dúvida, com Quinta dos Animais (1945) e Mil Novecentos e Oitenta e Quatro (1949), duas narrativas com uma atualidade assombrosa, que o autor alcança o reconhecimento internacional. Morreu de tuberculose, em Londres, a 21 de janeiro de 1950.

 

 

 

11
Mar21

O Menino, a Toupeira, a Raposa e o Cavalo

sapocris

320x.jfif

Sinopse

Um menino curioso, uma toupeira gulosa,

uma raposa cautelosa e um sábio cavalo

encontram-se num dia de Primavera

e estabelecem uma inesperada amizade.

Os quatro exploram o mundo. Colocam a si

próprios grandes questões. Atravessam

tormentas. Aprendem a amar.

Esta fábula sobre a esperança e a bondade

está cheia de lições vitais que atingiram já

legiões de corações de leitores de todo

o mundo.

 

O Menino, a Toupeira, a Raposa e o Cavalo

De Charlie Mackesy     

O livro ilustrado "O menino, a toupeira, a raposa e o cavalo", do autor britânico Charlie Mackesy, descrito como uma fábula filosófica, que se tornou num sucesso internacional, é editado este mês em Portugal.

"É uma pequena novela gráfica, feita de ilustrações e diálogos, com uma paisagem em fundo", resumiu o autor numa entrevista, quando o livro foi editado originalmente em 2019.

Tal como indica o título, o livro apresenta um rapaz, curioso, que encontra uma toupeira, "passam o tempo juntos, a contemplar a natureza selvagem", em deambulações nas quais encontram uma raposa e depois um cavalo.

"As aventuras deles acontecem na primavera, quando, num momento, a neve cai e, a seguir, o Sol brilha, o que se parece um pouco com a vida: é capaz de dar uma reviravolta num abrir e fechar de olhos", escreveu Charlie Mackesy na introdução do livro.

Antes de ser um livro ilustrado, "O menino, a toupeira, a raposa e o cavalo" foi apenas uma ilustração, partilhada no Instagram, numa altura em que o autor tinha perdido o melhor amigo.

A enorme recetividade àquela ilustração, o contacto com os seguidores -- e futuros leitores -- levou-o a desenvolver o livro, que não tem propriamente uma narrativa linear de acontecimentos.

É uma sucessão de conversas entre o menino e os três animais; aliás, entre o menino, a toupeira e o cavalo, já que a raposa é "calada e cautelosa, porque a vida a magoou", escreveu na introdução.

Muitos dos assuntos abordados -- o amor, a vida, a empatia, a coragem -- foram inspirados na interação do autor britânico com os seus seguidores, explicou numa entrevista divulgada em `podcast` pela livraria Barnes & Noble.

"O livro não é só meu, devia aparecer uma lista enorme de pessoas", disse, considerando que é uma história que serve leitores de todas as idades.

"O menino, a toupeira, a raposa e o cavalo", apontado na mesma linha criativa de "Joanica Puff" (em inglês, Winnie-the-Pooh), de A. A. Milne, ou "A árvore generosa", de Shel Silverstein, é o primeiro livro ilustrado de Charlie Mackesy, um autor britânico que começou por ser cartoonista na revista The Spectator e trabalhou como ilustrador para a Oxford University Press.

"O menino, a toupeira, a raposa e o cavalo" tem edição em Portugal pela Suma de Letras.

Via Lusa (RTP Cultura)

 

 

 

 

 

 

09
Mar21

Todos Devemos Ser Feministas

sapocris

Todos Devemos Ser Feministas | Chimamanda Ngozi Adichie

320x.jfif

SINOPSE

"Peço-vos que sonhem e planeiem um mundo diferente.
Um mundo mais justo. Um mundo de homens e mulheres mais felizes, mais fiéis a si mesmos. E é assim que devemos começar: precisamos de criar as nossas filhas de uma maneira diferente. Também precisamos de criar os nossos filhos de uma maneira diferente."

O que é que o feminismo significa hoje em dia?

Neste ensaio pessoal - adaptado de uma conferência TED - Chimamanda Ngozi Adichie apresenta uma definição única do feminismo no século XXI. A escritora parte da sua experiência pessoal para defender a inclusão e a consciência nesta admirável exploração sobre o que significa ser mulher nos dias de hoje. Um desafio lançado a mulheres e homens, porque todos devemos ser feministas.

 

Chimamanda Ngozi Adichie

 

 Nasceu na Nigéria, em 1977, tendo ido estudar para os Estados Unidos aos dezanove anos. Os seus contos apareceram em diversas publicações e receberam inúmeros galardões como o da BBC Short Story Competition em 2002 e o O. Henry Short Story Prize em 2003. A Cor do Hibisco, o seu primeiro romance, foi distinguido com o Hurston/Wright Legacy Award 2004 e o Commonwealth Writers' Prize 2005, tendo também sido finalista do Orange Broadband Prize 2004 e nomeado para o Man Booker Prize 2004. Meio Sol Amarelo, já publicado pela ASA, venceu, em 2007, o Orange Broadband Prize, o Anisfield-Wolf Book Award e o PEN "Beyond Margins Award". Americanah venceu o Chicago Tribune Heartland Prize 2013. A escritora foi também distinguida, em 2008, com um Future Award na categoria de Jovem do Ano e recebeu uma bolsa da MacArthur Foundation, considerada a "bolsa dos génios", no valor de 500 mil dólares. A sua obra encontra-se traduzida em trinta e uma línguas.
Em novembro de 2020 vence a categoria 'Winner of Winners', do Women's Prize for Fiction, pelo seu romance Meio Sol Amarelo. Este galardão é atribuído a título único e excecional e a autora agradeceu desta forma: 'Sinto-me particularmente comovida por ter sido votada "Vencedora das Vencedoras", uma vez que foi este prémio que inicialmente atraiu os leitores para o meu trabalho – e também me deu a conhecer tantas escritoras talentosas'.

 

09
Mar21

A Vida Secreta das Árvores

sapocris

320x.jfif

SINOPSE

Acontecem coisas espantosas na floresta: árvores que comunicam entre si (enviando sinais eléctricos através de uma rede subterrânea de fungos). Árvores que cuidam não só dos seus rebentos como também dos seus «vizinhos» doentes e velhos ou órfãos.
Árvores que têm sensibilidade, sentimentos e memórias. Incrível? Mas é verdade! O silvicultor Peter Wohlleben conta histórias fascinantes sobre as espantosas e pouco conhecidas características das árvores. Com base não só nas descobertas científicas mais recentes, como também na sua própria experiência de vida na floresta, partilha com o leitor todo um mundo até agora desconhecido. Uma fascinante viagem pela vida secreta das florestas que é ao mesmo tempo uma verdadeira inspiração ecológica e nos leva a repensar a relação do homem com a natureza.                                     

PETER WOHLLEBEN

Peter Wohlleben nasceu em Bona, em 1964. Depois de concluir os estudos secundários, iniciou uma carreira profissional como guarda-florestal no sudoeste da Alemanha, o que não o impediu de prosseguir os estudos, vindo a licenciar-se, em 1987, pela Universidade de Rothenburg. Tornou-se um engenheiro florestal particularmente notado pela atenção e preocupação que tem dedicado à protecção da natureza, nomeadamente à preservação das florestas, às quais sempre se manteve profissionalmente ligado. A sua excepcional capacidade para comunicar conceitos técnicos e científicos numa linguagem acessível deram-lhe reconhecimento público quer como apresentador de um popular programa de televisão, quer como autor de vários livros sobre silvicultura e ecologia que, no seu conjunto, venderam já perto de um milhão de exemplares só na Alemanha e se encontram publicados em mais de 40 países.

 

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

  •  
  • Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2020
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    Em destaque no SAPO Blogs
    pub